jusbrasil.com.br
30 de Março de 2020

O concurseiro e a contagem das horas

Estudar significa sentar na cadeira e ficar horas lendo a matéria, resolvendo exercícios, fazendo resumos e revisando o conteúdo. Isso assustou você, que está pensando em começar a estudar? Relaxe.

Jakeline Germano, Estudante de Direito
Publicado por Jakeline Germano
há 4 anos

Estudar significa sentar na cadeira e ficar horas lendo a matéria, resolvendo exercícios, fazendo resumos e revisando o conteúdo. Isso assustou você, que está pensando em começar a estudar? Relaxe.

Vivemos em um mundo "corrido", no qual o tempo, embora nem sempre seja dinheiro, como se diz, acaba sendo sim um "patrimônio" valioso. É por isso que quando falamos em estudar para concursos, não podemos esquecer do fator tempo. Registrar as horas de estudo para que tenhamos controle sobre o tempo dedicado aos estudos acaba se tornando uma tarefa obrigatória durante a preparação.

Estudar significa sentar na cadeira e ficar horas lendo a matéria, resolvendo exercícios, fazendo resumos e revisando o conteúdo. Assustou você, que está pensando em começar a estudar? Tenha calma e relaxe! Quando definimos o estudo dessa forma, fica até parecendo que estamos induzindo o concurseiro a considerá-lo como uma atividade maçante. Mas não é verdade: o estudo, na prática, apesar de se caracterizar por essa rotina, acaba se tornando uma atividade prazerosa na grande maioria dos casos.

Reiteramos que conseguir ficar longos períodos estudando é uma questão de hábito. No início você não conseguirá estudar mais do que duas horas num dia. Com o tempo, você acostuma seu corpo e sua mente para essa tarefa e aumentará esse período para várias horas por dia. Contudo, você só consegue controlar sua evolução se registrar suas horas de estudo. Existe uma máxima da Administração de Empresas que vale paraessa situação: “Quem não mede, não controla. Quem não controla, não gerencia”.

Se você não gerenciar seu tempo de estudo, estará sempre colocando em si uma dúvida em relação à sua dedicação aos estudos e nunca sentirá aquela sensação do dever cumprido. Sem o devido controle, pode acontecer de chegar ao final da semana com a ilusão de que estudou o suficiente, quando na verdade não estudou o que havia planejado. Afinal, nada melhor para um bom concurseiro do que chegar ao final da semana e fazer o somatório das horas estudadas e confirmar que estudou fielmente a quantidade de horas que havia planejado. A dúvida e a incerteza são grandes inimigas da serenidade de um candidato a concurso público.

Ao controlar o tempo de estudo e começar a ver a sua evolução ao longo dos dias, você se tornará orgulhoso do bom trabalho que está fazendo e dos resultados que está alcançando. Isso incentiva a continuar. Porém, é preciso fazer esse registro das horas com critério.

O que conta são as horas líquidas de estudo, e não o tempo bruto que você ficou estudando. Isso quer dizer que, em seus registros, você só deve considerar o tempo em que ficou efetivamente estudando, sentadinho na cadeira! Aquelas pausas feitas para ir ao banheiro, usar o celular, fazer um lanche ou tomar banho devem ser "descontadas do tempo de estudo, para que o registro seja fiel à realidade.

Por fim, há uma outra questão: lembre-se de que você deve separar as horas de cursinho das horas de estudo em casa. Vale aquela máxima do concurseiro: no cursinho você entende, em casa você aprende!


Extraído do livro"VIREI CONCURSEIRO, E AGORA?! Dicas e conselhos para quem decidiu estudar para concursos públicos", de Monique Muniz. (Adaptação especialmente produzida para o site Concursos no Brasil).

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)